Sérgio Conceição antevisão à receção ao Paços


Sérgio Conceição fez esta sexta-feira a antevisão à receção ao Paços de Ferreira e garante que a equipa apenas está focada em regressar às vitórias…

Sérgio Conceição garantiu, esta sexta-feira, em conferência de imprensa, que o FC Porto já ultrapassou a goleada sofrida diante do Liverpool, por 1-5, e está apenas focada em regressar às vitórias, diante do Paços de Ferreira, no estádio do Dragão.

No entanto o treinador do FC Porto assume a responsabilidade pelo resultado na última jornada da Liga dos Campeões, sublinhou as limitações que teve e o que falhou no FC Porto na terça-feira.

Sérgio Conceição numa conferência difícil

Críticas à tática usada contra o Liverpool: Vocês percebem o que aconteceu no jogo. Houve um central saiu e um que entrou e deu boa resposta, estou contente com aquilo que ele [Fábio Cardoso] fez. Dez minutos depois, saiu um jogador extremamente importante para a equipa no setor intermédio e no corredor central [Otávio]. No fim do jogo, faço a minha análise e sou extremamente exigente comigo. Sobre aquele jogo, sou o melhor treinador do mundo, vou dissecá-lo até de manhã e sei que fiz coisas que não foram boas para a equipa. Todos somos bons treinadores no fim do jogo. As críticas são o que são. Não quero puxar disto ou daquilo, não faz parte da minha maneira de ser. Perguntaram antes do último jogo sobre a experiência, e falei da nossa experiência. Tenho outros jogadores, mas optei por aqueles e tenho confiança total. No Liverpool, saíram três jogadores, e nós tínhamos três no plantel que estiveram no último jogo com o Liverpool. Mas as pessoas não querem saber disso. Eu também não quero saber que não queiram saber. Também é o quinto ano do treinador, já satura. A minha cara também não é grande coisa para alguns, pode criar algum incómodo. As pessoas procuram alguma coisa de mal quando, por vezes, o que temos em casa é que é bom.

Opções para o jogo: Podem escrever todos que o Diogo Costa vai jogar amanhã.

Pouco tempo para preparar jogo com o Paços de Ferreira: No geral, acho que continua uma equipa bastante competente, saiu um ou outro jogador, mas os jogadores que estiveram muito bem o ano passado continuam lá. Uma equipa que já tem muitos jogos esta época, o que lhes permite estarem desenvolvidos nas suas dinâmicas. É uma equipa com qualidade, que não tem nada a perder e que vem ao Estádio do Dragão aproveitar o nosso momento pós-Champions. Têm jogadores muito interessantes, mas estou mais focado na minha equipa. Estou preocupado com o que Jorge Simão faz quando o resultado está negativo, o que ele faz para provocar o adversário. A partir do momento em que tivemos um jogo como tivemos na Champions, com exibições fantásticas como tivemos nos últimos anos, quando o analisamos, acabou. O futebol é um recomeçar constante e é obvio que o ambiente proporciona que as coisas aconteçam de uma forma mais leve.

Consequências da derrota na Liga dos Campeões: A mensagem que foi passada é a mesma mensagem que é passada há quatro anos. Existe uma base de compromisso no clube, e há certos princípios que têm de ser respeitados. É nesses princípios que nos focamos. Depois, há a preparação do jogo e, aí, o único responsável por não conseguirmos um resultado no último jogo sou eu. Nos últimos quatro anos de Champions, foi sempre enaltecida essa boa campanha internacional que tivemos. Há bem pouco tempo, derrotamos o atual campeão da Europa, o Chelsea, e fomos a única equipa a retirar pontos ao Manchester City até à final. Ganhamos também contra uma equipa poderosa, como a Juventus, e agora parece que caiu o Carmo e a Trindade. Gosto disso, porque o FC Porto é uma equipa habituada a vencer, mas as pessoas têm de ter noção de que este mesmo Liverpool, sem dois ou três jogadores influentes, perdeu 2-7 contra uma equipa média, o Aston Villa. Há resultados e jogos que, dentro da preparação e do contexto, têm situações que controlamos e não controlamos. Trabalhamos para que não aconteça. Aconteceu e não há nada a fazer. Há, sim, algo a fazer contra o Paços, e é nisso que estamos focados. Não há implicações nenhumas. Foi analisado o que não foi feito, falei com os jogadores da mesma forma frontal que falo há quatro anos e com a imprensa. Talvez a imprensa esteja habituada a levar bluff de quem analisa os jogos, mas eu não. Coloco o meu sentimento cá para fora. Se as pessoas gostam mais ou menos… Foi algo disparatado o que disse? Não, foi o que falei com os jogadores. Fui eu o principal responsável. Agora, há coisas que temos de falar e analisar o porquê de não terem acontecido. Não sou capaz de ver um outro jogo. Há uma ou outra situação que pode sair de forma exagerada, mas é o meu sentimento e o que passo aos jogadores. A mensagem passa de forma que eu sou, e não abdico das minhas convicções. Graças a Deus, segui-as sempre e não abdico delas por ambientes ou pressões. Sou assim e vou continuar assim.

Reação à goleada diante do Liverpool: Fui a voz do descontentamento geral que provocou a derrota com o Liverpool. Só e mais nada.

Diferenças no Paços de Ferreira: Continua uma equipa bastante competente. Saiu um ou outro jogador, mas a maior parte continua lá. É uma equipa que não perde há alguns jogos, que tem já muitos jogos esta época, o que lhe dá a possibilidade de os jogadores perceberem as dinâmicas. É uma equipa com qualidade, que não tem nada a perder e vem ao Dragão tentar aproveitar o nosso momento no pós-Champions. Tem jogadores interessantes, mas estou mais focado na minha equipa.

+ info: O FC Porto – FC P.Ferreira , da 8.ª jornada da Liga Portugal Bwin, tem apito inicial agendado para as 18:00 do próximo sábado, no Estádio do Dragão.

Gostou? Faça gosto, comente e partilhe com os seus amigos a nossa página!

Notícias Populares