Relatório e Contas do FC Porto de 2018/19 aprovado por maioria


Relatório e contas do FC Porto da época 2018/19 aprovado por maioria, em assembleia geral realizada no auditório do Estádio do Dragão, os Dragões apresentaram um resultado líquido positivo de 8,507 milhões de euros…

Os sócios do FC Porto aprovaram esta segunda-feira, por maioria, o Relatório e Contas da época 2018/19, durante uma assembleia geral (AG) do clube realizada no Estádio do Dragão.

O Relatório e Contas (individuais e consolidadas) para o período compreendido entre 1 de julho de 2018 e 30 de junho de 2019 foi aprovado com votos favoráveis da maioria dos sócios presentes. De resto, registaram-se 35 abstenções e um voto contra.

Os dragões apresentaram um resultado líquido positivo de 8,507 milhões de euros durante a época passada, valor que abrange, todas as sociedades do grupo.

Pinto da Costa no discurso que encerrou a assembleia geral do FC Porto

Contas do clube azul e branco foram aprovadas por maioria e, no final da AG, Pinto da Costa discursou.

A AG do FC Porto, reunida ontem, aprovou por maioria o Relatório e Contas Individuais e o Relatório e Contas Consolidadas do clube, referentes ao período entre 1 de julho de 2018 e 30 de junho de 2019. Houve apenas um voto contra e 35 abstenções. Os resultados líquidos são de 8,5 milhões de euros positivos. Este número inclui todas as sociedades do grupo. Foi igualmente aprovado um voto de louvor a Paulo Nunes de Almeida e Armando Magalhães, falecidos recentemente e que desempenharam, respetivamente, os cargos de presidente e vogal do Conselho Fiscal e Disciplinar.

Na intervenção dos sócios houve espaço para críticas às renumerações da Administração da SAD e também a alguns comentadores do clube nos programas de televisão. No discurso que encerrou a AG, Pinto da Costa disse que as críticas são bem-vindas “quando imbuídas de espírito de melhorar e favorecer o FC Porto”, garantiu estar atento à formação e deu a renovação de Vítor Ferreira como exemplo, e admitiu que a Taça de Portugal e um segundo lugar no campeonato “não são compatíveis com prémios à administração”.

Pinto da Costa, voltou a recordar os seis milhões de euros pedidos por Herrera para renovar, dizendo que se os pagasse teria de dar valores semelhantes a outros como Marega ou Corona, mas garantiu que o clube continuará a renovar contratos com “todos os que pudermos” mas com a preocupação de “reduzir os custos com pessoal” sem com isso “deixar cair o valor do nosso plantel”. Lembrou ainda que Sérgio Conceição disse que “o plantel lhe dá mais garantias que o anterior.”

+ info: Na assembleia geral azul e branca foi também aprovado um voto de louvor a Paulo Nunes de Almeida e Armando Magalhães, que desempenharam os cargos de presidente e vogal do Conselho Fiscal e Disciplinar, respetivamente, e faleceram recentemente.

Notícias Populares