Pinto da Costa: “que os meus inimigos me continuem a atacar e a difamar”


Pinto da Costa admite reforçar o plantel em janeiro e nega saída de Militão, o líder portista disse ainda querer que os meus inimigos o continuem a atacar, um sinal de que tem saúde e continua a cumprir a sua obrigação…

Pinto da Costa não fechou portas a mais reforços no mercado de inverno, depois de ter garantido, recentemente, Fernando: “Nunca se sabe se poderá vir mais alguém ou não. Consideramos que temos um plantel excelente e a prova está naquilo que esse mesmo plantel tem feito. Agora, se possível, vamos melhorando e retocando o grupo, conforme as pretensões do treinador“, afirmou o dirigente portista em entrevista ao Jornal de Notícias, sublinhando que a chegada do avançado brasileiro foi um pedido expresso de Sérgio Conceição.

O líder portista voltou a garantir que Éder Militão não sai do clube em Portugal e salientou que Herrera e de Brahimi, que terminam no final desta época, é que devem decidir se vão continuar no Dragão ou não.

É um assunto que já foi falado 200 vezes. Só os jogadores é que podem decidir se vão continuar ou não. Eles têm as propostas que nós podemos dar e também têm o direito de optar por outros clubes, como aconteceu no ano passado com o Reyes e com o Marcano. Eles saíram e, felizmente, o FC Porto continua a vencer. No caso do Marcano, que é um excelente jogador e um excelente profissional, as coisas não lhe têm corrido bem, o que nós lamentamos, mas é a vida“, sublinhou.

O presidente do FC Porto aponta o recorde de 16 vitórias consecutivas como apenas “bom para encher os jornais”, Pinto da Costa garantiu ainda que não teve tempo para pensar na recandidatura à presidência do FC Porto e só espera que os inimigos continuem a atacá-lo. “Quero ter uma vida normal e que os meus inimigos me continuem a atacar e a difamar. É sinal de que tenho saúde. É sinal de que vou poder continuar a cumpri a minha obrigação“, apontou.

Sublinhado que os oitavos e final da Champions contra o Roma são equilibrados e que será uma eliminatória de 50% para cada lado, Pinto da Costa acredita que o FC Porto poderá seguir em frente: “Vamos encarar a eliminatória como o passaporte para os quartos de final“.

Recusando comentar o processo E-Toupeira, o líder portista diz que não ficou surpreendido com a goleada do Benfica contra o Braga. “Nos últimos anos, a única vez que o Benfica perdeu com o Braga, e até aconteceu em dois jogos na mesma época, foi quando o Sérgio Conceição era treinador do Braga“, ironizou.

Pinto da Costa também comentou as acusações do Benfica, que apontam o dedo ao FC Porto no caso em que um adepto dos encarnados ficou gravemente ferido no regresso a casa de autocarro: “O que espero é que o Benfica não nos acuse de estarmos por trás da morte daquele adepto italiano às portas do Estádio da Luz e daquele no Jamor com um very-light. Se dissessem que nós estamos por trás disso é que eu ficava preocupado. Já sabemos que isto são manobras de diversão, para desviar as atenções de outros assuntos. Para mim são “fait-divers” que nem vale a pena comentar“.