Great Wine Capitals, coloca o Porto na rota do enoturismo


O enoturismo está a trazer mais norte-americanos ao país, com o Porto a surgir como paragem obrigatória na ligação ao Douro Património Mundial e à Região dos Vinhos Verdes…

Esta procura reflete a participação da cidade na Great Wine Capitals (GWC) – a Rede de Capitais de Grandes Vinhedos. A cumprir este ano 20 anos, esta rede é formada por dez cidades, dispersas pelos hemisférios Norte e Sul, que têm em comum um património económico e cultural reconhecido internacionalmente: as suas regiões vinícolas. O Porto é um dos municípios fundadores da GWC.

“Quando olhamos para os números mais recentes do turismo uma das surpresas é ver o salto registado nos hóspedes e dormidas com origem nos Estados Unidos, o maior mercado do mundo do ponto de vista do enoturismo. E sabemos que a presença do Porto na rede GWC ajudou a potenciar este movimento” – disse Ricardo Valente, vereador da Câmara do Porto com o Pelouro da Economia, Turismo e Comércio, ao jornal Expresso.

Sobre o modo como a GWC está a atrair cidadãos dos EUA ao Porto, o que tem sido assinalado é o facto de a cidade ter nesta rede “uma plataforma de promoção à escala de outras grandes referências internacionais do velho e do novo mundo do vinho, de Bordéus, em França, a Adelaide, na Austrália ou a Valparaiso, no Chile”.

Constituem a Rede de Capitais de Grandes Vinhedos, além do Porto, Adelaide – Austrália do Sul (Austrália); Bilbao – Rioja (Espanha); Bordéus (França); Mainz – Rheinhessen (Alemanha); Mendoza (Argentina); São Francisco – Napa Valley (EUA); Valparaiso – Vale de Casablanca (Chile); Verona (Itália); e Lausanne (Suíça), a entrada mais recente.

Notícias Populares