FC Porto não aceita condenação no “caso dos emails” e vai recorrer


O caso dos emails conheceu esta sexta-feira mais um capítulo da sua história, no entanto a decisão judicial agora conhecida, é passível de recurso, ação que o FC Porto já confirmou que irá tomar…

A decisão judicial, tomada pelo Tribunal do Juízo Central Cível do Porto, absolveu Jorge Nuno Pinto da Costa, Adelino Caldeira e Fernando Gomes, mas condenou o FC Porto, a FC Porto SAD, a FC Porto Media e Francisco J. Marques, que foram sentenciados ao pagamento de uma indemnização de cerca de 1.950 milhões de euros por causa da divulgação dos emails do Benfica.

O juiz José António Rodrigues da Cunha leu a sentença em conferência de imprensa, pelas 11 horas. Depois da inquirição de 22 testemunhas e na análise de 2500 páginas de documentos. A sentença determina duas verbas a pagar: 523 mil euros por danos emergentes, e um milhão e 430 mil euros por divulgação da correspondência.

Caso dos emails: SAD azul e branca já decidiu que vai recorrer da decisão

Em comunicado, o FC Porto anunciou que irá recorrer da decisão do Tribunal Judicial da Comarca do Porto, que condenou o clube no seguimento do caso dos e-mails. O FC Porto sublinha que “não se conforma com esta decisão, que penaliza a divulgação de informação que o próprio tribunal reconheceu como verdadeira, e por isso vai recorrer para o Tribunal da Relação do Porto“, e acrescenta que:

O FC Porto reitera que todas as divulgações efetuadas no Porto Canal foram sempre realizadas ao abrigo do direito à informação e da salvaguarda da verdade desportiva, à imagem do que tem sido feito por órgãos de comunicação social de prestígio de países civilizados, como é o caso da revista alemã Der Spiegel, e tendo em conta a jurisprudência dominante nas instâncias judiciais europeias em relação a estas matérias

Esta decisão surge na sequência de uma ação interposta pelo Benfica, que exigia uma indemnização de 17 milhões de euros.

Notícias Populares