Álvaro Pereira: “O FC Porto foi o clube onde fui mais feliz”


Álvaro Pereira passou três anos ao serviço dos azuis e brancos, oito anos depois da saída, não tem dúvidas de que o FC Porto foi o clube onde foi mais feliz…

Álvaro Pereira e Jorge Fucile, dois antigos internacionais uruguaios, voltaram a encontrar-se esta terça-feira no programa “FC Porto em casa” e o lateral esquerdo recorda que, antes de assinar pelo FC Porto, esteve com um pé no Benfica e chegou a ligar ao compatriota Maxi Pereira, na altura lateral do Benfica, que o aconselhou a ir para o Dragão.

Álvaro Pereira passou três anos muito bonitos no Dragão

Tanbém conhecido como ‘Palito’, aproveitou para explicar a alcunha: “Quando nasci, o meu irmão chamava-me Alvarito. Da parecença do som e por eu ser magro, fui ficando Palito. Comecei uma época a jogar com Palito escrito na camisola. Mas não era bom para a imagem, falei e optámos por manter Álvaro“.

Foi o clube onde fui mais feliz. Foram três anos muito bonitos. E isto tem que ver com isto de pegar a identidade do clube. Eu cheguei com o Fucile. Aliás, é uma história bonita. Encontrei-me com Fucile num Aeroporto da Argentina, viemos para o Porto e ele nunca mais me largou. Eu cheguei e estava o Cissokho, que foi vendido para o AC Milan, mas acabou por não ficar lá e voltou. Depois saiu para o Lyon. Mas o Jesualdo deu-me sempre calma. Aprendi muito com ele. Ficava comigo depois do treino… Se está velhinho agora, é porque eu e o Fucile chateávamos muito

Álvaro Pereira, quando chegou ao FC Porto, em 2009/10, disse que só precisou de “quatro minutos” para decidir, um ano depois de Cebola Rodríguez ter dito que tinha precisado de cinco, mas a verdade é que o antigo lateral esquerdo esteve muito perto de assinar pelo Benfica.

Na altura estava a jogar na Roménia e fui chamado para a seleção. Quando parti ia haver uma reunião entre os dirigentes do Cluj e do Benfica, mas, no dia seguinte, disseram-me que ia para o FC Porto“, começa por contar, referindo depois que chegou a falar com o compatriota Maxi Pereira para saber do Benfica: “Cheguei a falar com o Maxi e, na altura, ele disse-me, vai para o FC Porto. Depois disso, nos três anos em que estivemos juntos, eu o Cebola e o Fucile, tentamos sempre convencer o Maxi a ir para o FC Porto“.

Maxi Pereira acabou, de facto, por também rumar ao Dragão, em 2015/16, mas já lá não estavam nenhum dos compatriotas.

Que gajos chatos… para eles o FC Porto era a Disney

Para além de ter recordado todo o processo que o levou a jogar pelos dragões, o lateral uruguaio de 35 anos também falou sobre as brincadeiras que pautavam o balneário azul e branco.

A pior dupla era Ukra/Castro. Que gajos chatos. Para eles o FC Porto era a Disney. Metiam-se com o Sapunaru, com o Maicon… Estavam sempre a brincar, a toda a hora. Treinavam forte, mas depois era só brincar. No balneário era preciso muito cuidado com eles…“, recordou também Álvaro Pereira.

Mas se assinar pelo FC Porto foi a melhor decisão da carreira, sair foi precisamente o contrário. E o lateral explicou porquê: “Sair do FC Porto foi a pior decisão da minha carreira. Se fosse hoje, já não saía. Foi um erro“.

Gostou? Faça gosto, comente e partilhe com os seus amigos a nossa página!

Notícias Populares